Sim eu digo sim: a verdade sobre a lôra burra.

USA. New York. Long Island. US actress Marilyn MONROE. 1955.

Hoje comemoramos o Bloomsday, o dia em que ocorre (quase toda) a história de Leopold Bloom, o herói de Ulisses, de James Joyce, e resolvi preparar uma surpresa no blog.

Quando pensamos em alguém como Marilyn Monroe, pensamos em alguém fútil, ingênua, com uma vida vazia, sem muito significado, que a levou a amores proibidos e a um fim trágico com barbitúricos. É como Sheldon Cooper diz sobre Penny, em Big Bang Theory: “ninguém pode ser tão bonita e inteligente ao mesmo tempo!”. No caso de Marilyn, aquela que você possivelmente pensava ser o protótipo da Loura da música de Gabriel, o pensador, isto não se aplica.

Ávida leitora, preferia os clássicos aos best-sellers. Seu preferido era “Folhas da relva”, de Walt Whitman, que possui o poema mais belos da língua inglesa (Song of Myself). Dentre os livros que leu, estavam muitos livros de poesia, James Joyce, Erich Fromm, Rabelais, Platão, Max Weber, Freud, Thomas Mann, Camus, Steinbeck, Plutarco, Kerouack, Einstein, Bertrand Russel, ao lado de livros de Judaísmo (ela se converteu ao judaísmo quando se casou com Arthur Miller), jardinagem, de receitas de cozinha e de coquetéis e inclusive uma biografia sobre si mesma. A lista abaixo, encontrada no site Open Culture, apresenta os 430 livros de sua biblioteca, inventariados quando de sua morte. Há indícios consistentes de que leu grande parte deles (como anotações, orelhas dobradas e grifos). Certamente leu Ulisses (na imagem famosa, ela estava viajando e encontrava-se na casa de um amigo quando foi fotografada). Pela foto, deveria estar lendo a parte mais difícil do livro (o solilóquio de Molly, o longo trecho – mais de 20 páginas – com fluxo de consciência sem uma vírgula ou ponto final).

Quantos livros da biblioteca de Marilyn você já leu? Quem sabe chegou a hora de você ler o Ulisses, de Joyce?

Desafio de leitura de Marilyn Monroe

1) Let’s Make Love by Matthew Andrews (novelization of the movie)

2) How To Travel Incognito by Ludwig Bemelmans

3) To The One I Love Best by Ludwig Bemelmans

4) Thurber Country by James Thurber

5) The Fall by Albert Camus Continuar lendo Sim eu digo sim: a verdade sobre a lôra burra.