Vez por outra alguém me pergunta como fazer para estudar Filosofia sem se matricular em um curso superior. Bem, talvez seja impossível estudar Filosofia sozinho. A Filosofia é um saber dialógico, ela surgiu como diálogo na Grécia e tende a se realizar sempre sob a forma de diálogo. Se você não quer se matricular em um curso, talvez valha à pena encontrar alguém que também queira estudar Filosofia. Um grupo de estudos, ou um grupo de leitura, pode ser uma boa ideia. Feito isso, é preciso estudar as obras dos filósofos. Que obras ler? Bem, elaborei uma lista de 21 obras essenciais que obedece a dois critérios. As sete primeiras são de fácil leitura e compreensão (apesar de haver camadas de sentido ocultas que se revelarão em uma segunda ou terceira leitura). Além disso, cada grupo de sete está disposto cronologicamente, o que permite ao estudante compreender melhor a evolução das ideias filosóficas no tempo. 21 obras deixam muita coisa de fora (por exemplo, foi dada pouca atenção à Filosofia Medieval), mas isso é inevitável em qualquer leitura. Talvez valha à pena acompanhar a leitura das obras por uma boa História da Filosofia (como a de Giovanni Reale e Dario Antiseri, em três volumes, ou talvez a de Bertrand Russel, ambas disponíveis para compra na Amazon). Vamos à lista:

1.1 A República, de Platão

1.2 Da Ira, de Sêneca

1.3 Confissões, de Santo Agostinho

1.4 O Príncipe, de Maquiavel

1.5 Meditações, de Descartes

1.6 2º tratado do governo civil, de Locke

1.7 Da liberdade, de Stuart Mill

2.1 Ética a Nicômaco, de Aristoteles

2.2 Ensaio sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens, de Rousseau

2.3 Investigações sobre o entendimento humano, de Hume

2.4 Crepúsculo dos Ídolos, de Nieztsche

2.5 A ideologia alemã, de Marx e Engels

2.6 Mal-estar na civilização, de Freud

2.7 As palavras e as coisas, de Foucault

3.1 Metafísica, de Aristóteles

3.2 Ética, de Spinoza

3.3 Fundamentação da metafísica dos costumes, de Kant

3.4 Crítica da Razão Pura, de Imannuel Kant

3.5 Fenomenologia do Espírito, de Hegel

3.6 Ser e tempo, de Heidegger

3.7 Investigações filosóficas, de Wittgenstein

Pode parecer estranho a alguns a Fundamentação da Metafísica dos Costumes preceder a Crítica da Razão Pura em minhas sugestões, tendo em vista que ela foi publicada depois da Crítica, mas essa inversão obedece apenas ao critério de legibilidade, de facilidade de leitura. A Crítica da Razão Pura, a fenomenologia do Espírito e Ser e Tempo são livros que existem alguma experiência em leitura de textos filosóficos, assim como muita concentração e reflexão durante a leitura. Não que as outras 18 obras também não o exijam, mas estas são especialmente difíceis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s